MULHERES

A Ecojoias Carol Barreto lança a Coleção Mulheres, uma homenagem as mulheres da história que estiveram a frente do seu tempo. Desbravadoras e persistentes, indo contra os padrões de sua época, conseguiram seus feitos pela ousadia em seguirem seus próprios desejos.
Convidamos 5 clientes da marca para representarem 5 personalidades que deixaram seu legado; Amélia Earhart, Irena Sendler, Zilda Arns, Frida Kahlo e Maria Montessori. 

Amelia Earhart

Nome influente na história da aviação, Amelia apesar de ser conhecida pelo feito de ser a primeira mulher a cruzar o atlântico em uma aeronave (1928), ela não pilotou e foi somente como passageira neste vôo. Inconformada, foi buscar seu próprio marco, e ainda em 1928, ela se tornou a primeira mulher a efetuar um voo solo de ida e volta através do continente norte-americano.

Incentivou mulheres a entrarem na aviação, fundando uma organização para pilotos femininos.

Revolucionou o casamento, se recusando a mudar de nome e fazendo questão de dividir tarefas e dinheiro de igual para igual.

As Ecojoias inspiradas na Amélia são compostas de colar e brinco que remetem a bússola (Colar e Brinco Amelia) e um brinco de asas (Brinco Voo)

 

 

Maria Montessori

Desenvolveu um método educativo até hoje usado em escolas públicas e privadas pelo mundo a fora.

Maria foi a primeira mulher a se formar em medicina no seu país, mas dedicou sua vida a educação infantil, destacando a importância da liberdade, da atividade e do estímulo para o desenvolvimento físico e mental das crianças. Para ela, liberdade e disciplina se equilibrariam, não sendo possível conquistar uma sem a outra. Adaptou o princípio da auto-educação, que consiste na interferência mínima dos professores, pois a aprendizagem teria como base o espaço escolar e o material didático.

Maria Montessori acreditava que nem a educação nem a vida deveriam se limitar às conquistas materiais. Os objetivos individuais mais importantes seriam: encontrar um lugar no mundo, desenvolver um trabalho gratificante e nutrir paz e densidade interiores para ter capacidade de amar. A educadora acreditava que esses seriam os fundamentos de quaisquer comunidades pacíficas, constituídas de indivíduos independentes e responsáveis. A meta coletiva é vista até hoje por seus adeptos como a finalidade maior da educação montessoriana.

Ecojoias da Maria tem como inspiração o material didático usado na sua metodologia, como os Geométricos Sólidos e a Caixa de Cores. 

São eles: Brinco Maria, Mini Brinco Maria e Gargantilha Maria, e os Mini Brincos chamados de Geombrincos, com os formatos geométricos.

 

 

 

Frida Kahlo

Ela pode ser considerada uma mulher a frente de seu tempo. Apaixonada pela arte e motivada pela intensidade inerente á vida, Frida se transformou em um ícone do surrealismo e do universo feminino na década de 50, e fez com que sua força se perpetuasse no tempo.

Mesmo com todas as intempéries que a vida lhe impôs (poliomielite na infância e o acidente de ônibus na adolescência que deixou sérias sequelas), Frida foi uma feminista, e incorporou com autenticidade símbolos mexicanos e indígenas em sua arte.

As Ecojoias inspiradas em Frida possuem o formato de flores (Brinco Frida e Colar Magdalena), Magdalena era seu primeiro nome.

 

 

Irena Sendler

Assistente social responsável por salvar mais de 2.500 vidas ao conseguir que várias famílias escondessem filhos de judeus no seio do seu lar e ao levar alimentos, roupas e medicamentos às pessoas barricadas no Gueto de Varsóvia, arriscava sua própria vida durante a Segunda Guerra Mundial.

Ao longo de um ano e meio, até à evacuação do gueto no Verão de 1942, conseguiu resgatar mais de 2.500 crianças por várias vias: começou a recolhê-las em ambulâncias como vítimas de tifo, mas logo se valia de todo o tipo de subterfúgios que servissem para os esconder: sacos, cestos de lixo, caixas de ferramentas, carregamentos de mercadorias, sacos de batatas, caixões... nas suas mãos qualquer elemento transformava-se numa via de fuga.

Irena vivia os tempos da guerra pensando nos tempos de paz e por isso não fica satisfeita só por manter com vida as crianças. Queria que um dia pudessem recuperar os seus verdadeiros nomes, as suas identidades, as suas histórias pessoais e as suas famílias. Concebeu então um arquivo no qual registrava os nomes e dados das crianças e as suas novas identidades.

Os nazis souberam dessas atividades e em 20 de Outubro de 1943; Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a prisão de Pawiak onde foi brutalmente torturada.

Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou-se a trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Foi condenada à morte. Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um "interrogatório adicional".

Ao sair, gritou-lhe em polaco "Corra!". No dia seguinte Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados. Os membros da Żegota tinham conseguido deter a execução de Irena subornando os alemães, e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.

Em 1944, durante o revolta de Varsóvia, colocou as suas listas em dois frascos de vidro e enterrou-os no jardim de uma vizinha para se assegurar de que chegariam às mãos indicadas se ela morresse. Ao acabar a guerra, Irena desenterrou-os e entregou as notas ao doutor Adolfo Berman, o primeiro presidente do comité de salvação dos judeus sobreviventes. Lamentavelmente, a maior parte das famílias das crianças tinha sido morta nos campos de extermínio nazis.

De início, as crianças que não tinham família adotiva foram cuidadas em diferentes orfanatos e, pouco a pouco, foram enviadas para a Palestina.

As Ecojoias para a Irena, fazem alusão a uma ponte, Irena foi a ponte da vida (Brinco Irena e Mini Brinco Irena) e o símbolo da igualdade aparece no Brinco Igualdade.

 

 

 

 

Zilda Arns

Fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, Zilda foi uma mulher de coragem! Ela viveu para defender e promover as crianças, gestantes e idosos, construir uma sociedade mais justa, fraterna, com menos doenças e sofrimento humano.

Em seu trabalho, sempre aliou o conhecimento científico ao conhecimento e à cultura popular; valorizou o papel da mulher pobre na transformação social; mobilizou a todos, pobres e ricos, analfabetos e doutores, na busca da Vida Plena para todos. Ela costumava dizer: “Há muito o que se fazer, porque a desigualdade social é grande. Os esforços que estão sendo feitos precisam ser valorizados para que gerem outros ainda maiores”.

Em 1982, um dos maiores problemas que o Brasil enfrentava era a desnutrição infantil. Para cada 1000 crianças que nasciam no país, aproximadamente 83 morriam desnutridas. Com esses dados em mãos, James Grunt sugeriu ao Cardeal de São Paulo à época que a Igreja Católica agisse para combater a mortalidade infantil. Ao voltar da Suíça, o cardeal procurou sua irmã, a médica sanitarista Zilda Arns e a conversa que tiveram foi o embrião da Pastoral da Criança. Criada há 30 anos, a Pastoral já atende mais de 73% do território nacional, além de mais 21 países da América Latina, África e Ásia. O trabalho se iniciou no município de Florestópolis, interior do Paraná. A cidade foi escolhida pelo alto índice de mortalidade infantil. Para cada 1000 crianças nascidas ali, 127 morriam nos primeiros anos de vida. Além da desnutrição, a Pastoral lutava para acabar com a diarreia, responsável pela metade das mortes de crianças da época. Apesar de ser bem simples, a receita do soro caseiro era nova e não chegava a todas as famílias.

 O empoderamento das mães foi crucial pois o fato delas terem condições para estudar, e assim, conhecer os mecanismos da doença, permitiu que elas cuidassem melhor do seus filhos.

As Ecojoias inspiradas em Zilda fazem referência a fórmula do soro caseiro (Brinco Zilda e Colar Zilda).

Faça parte da nossa comunidade

Siga-nos nas redes sociais

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

©Ecojoias Carol Barreto - Todos os direitos reservados